domingo, 28 de dezembro de 2008

Mario Quintana

Poeta gaúcho nascido em Alegrete, Rio Grande do Sul, Brasil em 30 de julho de 1906, e morreu em 5 de maio de 1994, em Porto Alegre.É o poeta das coisas simples. Despreocupado em relação à crítica, faz poesia porque "sente necessidade", segundo suas próprias palavras. Em 1928 ingressou no jornal O Estado do Rio Grande. Após ter participado da Revolução de 1930, mudou-se para o Rio de Janeiro, retornando em 1936 para a Livraria do Globo, em Porto Alegre, onde trabalhou sob a direção de Erico Verissimo. Traduziu Charles Morgan, Proust, Conrad, Balzac ,Rosamond Lehman, Lin Yutang, Voltaire, Virginia Woolf, Papini, Maupassant. Em sua poesia há um constante travo de pessimismo e muito de ternura por um mundo que, parece, lhe é adverso. Em 1940, lançou a Rua dos Cataventos, seu Primeiro livro de poesias.

Um comentário:

Regina Fernandes disse...

Flavia
Parabéns pela singela homenagem à Mario Quintana. Ficou lindo!
Bjs