segunda-feira, 6 de julho de 2009

Teoria evolucionista de Darwin


"E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom." (Gênesis 1 : 12)

"E Deus criou as grandes baleias, e todo o réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies; e toda a ave de asas conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom." (Gênesis 1 : 21)

"E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi." (Gênesis 1 : 24)

"Não semearás a tua vinha com diferentes espécies de semente, para que não se degenere o fruto da semente que semeares, e a novidade da vinha." (Deuteronômio 22 : 9)

"Guardarás os meus estatutos; não permitirás que se ajuntem misturadamente os teus animais de diferentes espécies; no teu campo não semearás sementes diversas, e não vestirás roupa de diversos estofos misturados." (Levítico 19 : 19)


Tendo sido tudo criado segundo a sua espécie, como o homem poderia ter evoluído do macaco?
Não haveria um pulo de uma espécie para outra?
Se a ordem de Deus era não misturar as espécies como pode o homem ter evoluído de uma espécie diferente da sua?
Estaria Deus se contradizendo?
O que os cientistas querem provar com esta teoria, que Deus não existe?
Ou se existe, estaria mentindo?

Um comentário:

Regina Fernandes disse...

O físico e teólogo Ian G. Barbour distingue em sua obra "Religion in Age of Science" quatro formas de relação do cientista com a religião, ou do religioso com a ciência,uma delas é o conflito - a forma na qual ciência e religião disputam entre si, como nas disputas entre criacionismo bíblico e evolução natural.

Essa é uma área complicada, religião X ciência. Prefiro cada um no seu quadrado.rssrs

Bjs
Linda semana pra você.