terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Compulsão Alimentar

Observações sobre a Compulsão Alimentar

Os Comportamentos Compulsivos são também chamados de Comportamentos Aditivos. São hábitos aprendidos e seguidos por alguma gratificação emocional, normalmente um alívio de ansiedade e/ou angústia. São hábitos mal adaptativos que já foram executados inúmeras vezes e acontecem quase automaticamente. As compulsões, comportamentos estereotipados, não são agradáveis nem úteis, mas fazem com que a pessoa fique muito ansiosa se não executá-los. Mesmo reconhecendo que esses rituais são irracionais o paciente não consegue deixar de repeti-los numerosas vezes.
A compulsão alimentar é um transtorno muito comum nos dias de hoje, não é uma doença, embora muitas vezes mal compreendida. Ela ocorre quando um indivíduo consome regularmente uma grande quantidade de comida, de uma só vez ou várias vezes ao dia, mesmo quando não tem fome e depois se sente física e/ ou psicologicamente desconfortável por comer tanto. Percebe-se em pessoas de qualquer sexo, raça, idade ou nível sócio-econômico e, como quem sofre do transtorno de compulsão alimentar aumenta com frequência de peso ou se torna clinicamente obeso, torna-se passível de contrair uma grande variedade de doenças.
O transtorno da compulsão alimentar tem pelo menos três das seguintes características: comer depressa; comer até atingir mal-estar físico; comer quando não se tem fome; comer sozinho, ou ter sentimentos de vergonha e culpa em relação à alimentação; expressar descontentamento com a aparência, peso ou auto-estima; exprimir repugnância em relação a hábitos alimentares, peso, corpo ou aparência; sentir-se subjugado, envergonhado ou culpado durante ou depois de um episódio de voracidade; comer quando está sob pressão ou se sente psicologicamente diminuído; e como já foi dito, ingerir uma quantidade excessiva de comida, mesmo quando não tem fome.
Não há uma causa bem estabelecida para a ocorrência de Comportamentos Compulsivos. Pode-se falar em vulnerabilidades e predisposições, seja de elementos familiares, tais como os hábitos conseqüentes à extrema insegurança e aprendidos no seio familiar, seja por razões individuais e relacionados às vivências do passado e a ao dinamismo psicológico pessoal, seja por razões biológicas, de acordo com o funcionamento orgânico e mental.
Assim, Comportamentos Compulsivos ou Aditivos podem ser entendidos como atitudes (mal-adaptadas) de enfrentamento da ansiedade e/ou angústia, trazendo conseqüências físicas, psicológicas e sociais.
Normalmente os Comportamentos Compulsivos precisam de tratamento quando têm como conseqüências, prejuízos significativos à vida da pessoa ou ao seu entorno sócio-familiar. No entanto é significante o número de pessoas que conseguem reverter o quadro compulsivo alimentar seguindo algumas regras, tais como:
- não faça dietas muito rígidas, pois assim você estará se privando de muitos alimentos. Além de perder em nutrientes, esse tipo de regime colabora para a compulsão;
- lembre-se de que por mais gostoso que seja um determinado alimento ele não irá desaparecer da face da terra.Você poderá comê-lo mais tarde ou mesmo outro dia. Não é preciso devorar tudo o que vê pela frente.
- entenda que nenhum tipo de comida está proibido, mas apenas restrito. A proibição de um alimento, cria um desejo exagerado por ele.
- ao terminar uma refeição, levante-se da mesa. Muitas vezes você continua a comer apenas porque a comida está na sua frente.
- lembre-se, de que a comida só cura a fome. Problemas e sentimentos tem outro tipo de solução, como uma boa conversa, um desabafo, uma ida ao cinema, um esporte, etc.
- não pule refeições. Um grande intervalo de tempo sem comida pode deixá-la compulsiva no momento em que for se alimentar novamente.
- evite comer quando estiver cansada, você vai querer comer rápido para depois ir descansar; nesse comer rápido, provavelmente vai comer mais do que seu organismo precisa. Faça o inverso, ao chegar em casa, depois de um dia de trabalho, tome um bom banho ,vista uma roupa confortável e depois vá comer.
- não coma em pé ou andando pela casa. Assim não vai saborear os alimentos e nem perceber quando estiver saciada.
- preste atenção ao sabor dos alimentos. Afinal, comer deve ser sempre prazer. Se estiver comendo algo de que não gosta muito, ou que não está bem preparado, pare. Seja mais exigente. Escolha sua comida. Coma devagar, pois só assim poderá perceber quando estiver satisfeita. Comer devagar é questão de treino.
- e, principalmente, quando sofrer um ataque de compulsão, não se xingue, não se recrimine. Sentindo-se culpada, você será tentada a comer ainda mais. Perdoe-se e volte com a cabeça de magra na refeição seguinte.
- aceite-se.Sua maneira de comer e a forma de seu corpo não são boas nem más. Quando você cura sua alimentação compulsiva, seu corpo sente essa mudança e volta a ter seu peso natural, o peso natural para você conforme sua idade, atividade física, etc...
- anote sua dieta. Ter um caderninho para anotar tudo o que come ajuda a se familiarizar com seu padrão de alimentação e a perceber exatamente o que deve ser mudado.

Regina Fernandes
Psicóloga - Psicanalista

Um comentário:

Sônia Silvino disse...

Flavia querida!
Olá!
Boa noite pra você!!!
"Todos os dias devíamos ouvir um pouco de música, ler uma boa poesia, ver um quadro bonito e, se possível, dizer algumas palavras sensatas."
(Goethe)
Eu acrescento: todos os dias deveríamos visitar um blog de qualidade como esse!
Beijocas, muitas!
Sônia Silvino's Blogs
Vários temas & um só coração!
*Blogueira entrevistada no blog Patchwork nesta semana: Maysha!
Confira!